Última hora

Última hora

Fotos de reféns são "sinal encorajador"

Em leitura:

Fotos de reféns são "sinal encorajador"

Tamanho do texto Aa Aa

“É um sinal encorajador” – foi desta forma que a presidente da Areva, para a qual trabalhavam os funcionários raptados no Níger, se referiu à publicação das fotos dos sequestrados.

Juntamente com as fotografias, os raptores divulgaram também um registo sonoro dos reféns, que confirmaram o rapto durante a noite nas suas casas, e que se trata de facto da Aqmi, a Al-Qaeda do Magrebe Islâmico.

Ao todo foram raptadas 7 pessoas. Foram sequestradas a 16 de Setembro na cidade mineira de Arlit no Níger, onde se extrai urânio, numa operação ousada que iludiu 350 soldados nigerinos mais 150 seguranças. Acredita-se que os raptores os tenham levado para o Mali.

Além de cinco franceses, estão em cativeiro um togolês e um malgaxe. Todos trabalhavam para as empresas gaulesas Areva, gigante do sector da energia nuclear, e uma filial do grupo Vinci, do sector da contrução.

A presidente da Areva, Anne Lauvergeon, deslocou-se esta quinta-feira ao Níger para se reunir com o presidente daquele país.