Última hora

Última hora

Brasil vira a página

Em leitura:

Brasil vira a página

Tamanho do texto Aa Aa

É incontestável que se está a virar uma página da história do Brasil com o fim da era Lula, o antigo sindicalista de inspiração trotskista que se tornou o primeiro presidente brasileiro de esquerda em 2002.

Luís Inácio Lula Da Silva tinha enormes responsabilidades e gerava muitas expectativas. Mas soube impor uma terceira via à moda do Brasil e trazer o país para o primeiro plano. Em 2010, a revista Time considerou Lula como o dirigente mais influente do Planeta.

Não é fácil suceder a tal personagem, com uma popularidade nos 80 por cento. E não é por acaso que esteve em todos os comícios da “sua” candidata.
A vitória anunciada de Dilma Rousseff deve-se à popularidade do mentor.

Mesmo se ela tem a política no sangue, foi a designação para o cargo equivalente a primeira-ministra, há cinco anos, que reforçou o poder. Quando apareceu como sucessora de Lula, desencadeou algumas oposições.

Ex-golpista e revolucionária, presa e torturada durante a ditadura, dedicou-se à política depois da libertação, sem nunca ter sido eleita. Aderiu ao Partido dos Trabalhadores em 2000.

No governo dirigiu um ambicioso programa de aceleração do crescimento. Vai ser um elemento de continuidade política, mas o envolvimento e demissão da amiga mais chegada na Casa Civil, a ex-ministra Erenice Guerra, num grave escândalo de corrupção, faz temer a continuidade noutro plano. E fez descer as intenções de voto em cinco pontos percentuais.

Mesmo assim, o social-democrata, ex-governador de São Paulo, José Serra, não consegue contrariar o efeito Lula. Estrategicamente, centrou a campanha sobre o futuro, repetindo o desejo do Brasil fazer mais e melhor.
Foi antigo ministro de Fernando Henrique Cardoso, já se candidatou às presidenciais de 2002 contra Lula e, desde 2007, esteve à frente do mais rico Estado do país, São Paulo. Mas também tem o apoio fundamental do Estado de Minas Gerais.

A candidata dos Verdes, Marina Silva, ex-ministra do Ambiente no governo de Lula pode vir a ser a chave destas eleições em caso de segunda volta.
É uma importante defensora do desenvolvimento durável e da Amazónia e está em posição de negociar o apoio a Dilma por uma melhor defesa do Ambiente … melhor do que a que foi feita pelo governo anterior, do qual ela se demitiu por desacordo com Lula.