Última hora

Última hora

Hungria tenta prevenir contaminação do rio Danúbio após derrame tóxico

Em leitura:

Hungria tenta prevenir contaminação do rio Danúbio após derrame tóxico

Tamanho do texto Aa Aa

A Hungria tenta prevenir a contaminação do rio Danúbio, após o derrame tóxico que ontem matou 4 pessoas.

As autoridades declararam o estado de emergência. Seis pessoas permanecem desaparecidas.

A torrente de lama vermelha e tóxica inundou várias aldeias, no oeste do país. Os condados afectados fazem fronteira com a Eslováquia, a Áustria, a Eslovénia e a Croácia.

A lama tóxica provém de um reservatório de alumínio dos anos 40.

O material é ligeiramente radioactivo e causou irritações oculares e queimaduras a mais de mil pessoas.

Cerca de 400 habitantes foram realojados.

“A única coisa que me resta são estes sapatos, perdi tudo e nem sequer me deixam ir para a minha casa”, diz uma residente de Devecser.

As equipas de limpeza tentam agora impedir que a maré vermelha chegue ao rio Danúbio, que passa por Viena, Bratislava e Budapeste, em direcção a Belgrado e ao mar Negro.

As autoridades dizem que será preciso um ano e dezenas de milhões de euros para limpar as áreas afectadas.