Última hora

Última hora

Águas do Danúbio afectadas pelas lamas tóxicas na Hungria

Em leitura:

Águas do Danúbio afectadas pelas lamas tóxicas na Hungria

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto o exército participa nas operações de limpeza e de ajuda às populações afectadas pelo maior desastre ecológico húngaro, o fluxo tóxico provocado por um acidente industrial chegou às águas do Danúbio.

Na segunda-feira, uma fuga de lamas vermelhas de um reservatório de uma fábrica de alumínio na cidade de Ajka, 160 quilómetros a oeste de Budapeste, atingiu as aldeias de Devecser e Kolontar.

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, visitou Kolontar e mostrou-se extremamente pessimista em relação à possível reconstrução das zonas destruídas.

“O que vi é terrível, simplesmente terrível. É a prior tragédia ecológica de sempre na Hungria. As pessoas estão desesperadas. Deixou de haver confiança.”

De acordo com um responsável do serviço das águas húngaro, o fluxo tóxico passou do Raab para o Danúbio ao início da manhã.

As amostras de água recolhidas na confluência dos dois rios mostram «uma taxa de alcalinidade ligeiramente superior ao normal que é de oito e pode ir até 14.

Apesar de a taxa ainda ser baixa, o ecossistema do segundo rio mais longo da Europa está ameaçado.

Entretanto, as autoridades anunciaram que todo o ecossistema do rio Marcal, directamente atingido pela maré de lamas tóxicas, foi destruído devido à poluição.