Última hora

Última hora

Conflito de interesses força antigo comissário europeu a demitir-se

Em leitura:

Conflito de interesses força antigo comissário europeu a demitir-se

Tamanho do texto Aa Aa

Por conflito de interesses, o antigo comissário europeu do Mercado Interno foi forçado a demitir-se da direcção do banco NBNK Investments.

Pela primeira vez, o Comité de Ética da comissão não fechou os olhos à actividade desempenhada por um antigo membro e pressionou Charlie McCreevy a resignar.

O comité tem sido acusado de laxismo pelas ONGs. “Acho que foi muito cínico ver que o senhor McCreevy esteve envolvido num banco que iria, de acordo com o seu modelo de negócio, comprar uma grande quantidade de activos bancários que estavam à venda, basicamente por causa da crise financeira. É, claramente, muito cínico para o homem que era o regulador máximo do sector financeiro antes de a crise ter rebentado”, afirmou Olivier Hoedeman do Corporate Europe Observatory.

O Comité de Ética não encontrou nenhum problema no facto de o antigo comissário da Indústria, Günter Verheugen, ter integrado uma empresa de consultoria e dois bancos.

E Joe Borg foi autorizado a entrar para uma importante empresa de lobbying em Bruxelas, desde que não tratasse dossiês de política marítima, área pela qual foi responsável enquanto comissário.

A Comissão, através do seu porta-voz Michael Mann, promete melhorar o Código de Conduta: “A Comissão comprometeu-se a melhorar e a alterar o seu código de conduta. Isto é o que já está em curso e pretendemos que esteja terminado antes do final do ano”.

Em Setembro, soube-se que antigos membros da Comissão recebiam avultadas ajudas para reconversão profissional, sendo que alguns já trabalhavam como políticos ou lobistas.