Última hora

Última hora

Presidente Associação Solidariedade China "o governo chinês está sentado num vulcão"

Em leitura:

Presidente Associação Solidariedade China "o governo chinês está sentado num vulcão"

Tamanho do texto Aa Aa

O Prémio Nobel da Paz foi entregue ao dissidente chinês Liu Xiao Bo. Foi a primeira vez que um dissidente chinês recebeu este prémio.

Para falar da escolha do Comité Nobel norueguês, entrevistámos Marie Holzman, reputada perita em sinologia e presidente da associação Solidariedade China.

Pierre Assemat – Euronews:
Marie Holzman porquê dar o Prémio Nobel da Paz a Liu Xiao Bo?

Marie Holzman, presidente Solidariedade China:
“É uma decisão por um lado surpreendente, mas muito bem-vinda. Creio que entregar um Prémio Nobel da Paz a um chinês é o mesmo que encorajar um quinto da humanidade a continuar a luta pela democracia. É também uma forma de integrar a China no mundo moderno. Esta ditadura que já dura há 60 anos tem muitos aspectos que são totalmente arcaicos. Agora que a China se tornou uma grande potência económica, deve também tornar-se uma grande potência política.”

Pierre Assemat – Euronews:
Concretamente, que peso tem este Prémio Nobel da Paz?

Marie Holzman, presidente Solidariedade China:
“Não podemos dizer que vai ter um peso determinante. Não sabemos o que o futuro reserva. Mas poderá ser um momento histórico na evolução do Partido Comunista chinês. É possível que a população desperte e exija que o governo se coloque em harmonia com o Prémio Nobel da Paz e não o contrário.”

Pierre Assemat – Euronews:
Pequim qualificou esta escolha de obscena. A China é a segunda potência económica mundial, mas o país nunca viveu num regime democrático. Este prémio pode incitar a China a abrir a porta?

Marie Holzman, presidente Solidariedade China:
“Porque não? Há actualmente na China reivindicações muito fortes. Assistimos a greves de trabalhadores que pediam um aumento dos salários no mês de Julho. Vemos muitos camponeses protestarem porque são expropriados, as pessoas protestam porque perderam as suas casas, porque foram expulsas, etc…
Por isso, o governo chinês está sentado num vulcão neste momento. Não podemos, para já, dizer que este prémio Nobel da Paz vai provocar a explosão do vulcão, ou seja uma forte pressão da população sobre o Partido Comunista chinês para seguir o caminho das reformas políticas.”

Pierre Assemat – Euronews:
Liu Xiao Bo está a cumprir uma pena de 11 anos de prisão. Que influência pode ter este prémio?

Marie Holzman, presidente Solidariedade China:
“Em primeiro lugar, vai protegê-lo. É evidente que não vão poder maltratar um Prémio Nobel da Paz porque mais tarde ou mais cedo, mesmo dentro de 10 anos, ele acabará por sair da prisão. A imprensa vai encontrar-se com ele, vai querer fotografá-lo. Por isso, é importante mantê-lo simplesmente em bom estado, mesmo se é um bocado triste dizer as coisas desta forma. Ao mesmo tempo, vai ter um enorme impacto no ambiente prisional. É evidente que todos os guardas prisionais vão saber quem ele é. É evidente que as pessoas que vivem próximo da sua mulher Liu Xia vão saber quem ela é. Actualmente Liu Xia tem muitas dificuldades, por exemplo, para falar com jornalistas ou personalidades estrangeiras. Por isso vai ter um impacto junto das pessoas que vivem próximo de Liu Xiao Bo, mas também em todo o país.”