Última hora

Última hora

Húngaros abandonam aldeia de Kolontar

Em leitura:

Húngaros abandonam aldeia de Kolontar

Tamanho do texto Aa Aa

Ao início da manhã, a aldeia de Kolontar começou a ser evacuada.

Os 800 habitantes deixaram para trás tudo o que tinham para fugir à lama tóxica, que cobre uma área com cerca de mil hectares. Mas esta é, apenas, um das sete localidades atingidas pela maior catástrofe ambiental de que há memória na Hungria.

As autoridades admitem evacuar outras aldeias caso os piores receios se confirmem.

Por estes dias é nos centros de abrigo que os desalojados encontram algum conforto. E por aqui vão ficar até terminarem os trabalhos de limpeza e a segurança estar garantida, o que pode levar meses.

“Temos de ficar aqui porque não temos outro lugar.
A nossa casa está situada num ponto alto da aldeia. Se lamas atingirem a nossa casa, isso quer dizer que toda a aldeia ficou destruída. É o fim de Kolontar” afirma uma mulher.

Kolontar e Devecser são as duas localidades mais afectadas pela enxurrada vermelha.

O primeiro-ministro húngaro promete não poupar esforços para ajudar a população:

“Vamos retirar as pessoas das áreas afectadas com a ajuda da polícia, do exército e vamos utilizar todos os meios necessários para evitar a perda de mais vidas humanas” afirma Viktor Orban.

O número de vítimas mortais é, ainda, provisório já que muitas pessoas continuam desaparecidas.

Em Kolontar está a ser construído um novo dique para evitar que uma nova onda de lamas tóxicas atinja a povoação.