Última hora

Última hora

Chile: drama acaba com resgate inédito

Em leitura:

Chile: drama acaba com resgate inédito

Tamanho do texto Aa Aa

Dezassete dias depois da derrocada, na mina de San José, chega ao exterior a primeira comunicação do grupo de 33 mineiros.

O presidente chileno, Sebastian Piñera, é o portador da boa notícia. Estão todos vivos e à espera.

A angústia dá lugar à ansiedade. As famílias mudam-se para um acampamento improvisado junto à mina.

As primeiras imagens mostram os mineiros bem e motivados, apesar da primeira previsão para o resgate apontar para quatro meses.

Os trabalhos com as perfuradoras intensificam-se e em 33 dias, a 18 de Setembro, é atingido o abrigo onde o grupo está enclausurado.

O acontecimento é motivo de enorme alegria para os homens. Abriam-se boas perspectivas para o resgate ser antecipado.

A 25 de Setembro, chega à mina a cápsula Fenix, que iria encarregada de trazer os mineiros à superfície. O plano de socorro obedece a uma ordem: primeiro saem os mais ágeis, depois os mais frágeis e por último os mais fortes.

Passados 69 dias soterrados, inicia-se a operação de resgate. O socorrista Manuel Gonzalez é o primeiro a descer até à galeria. O engenheiro experiente em operações de resgate em minas é recebido com emoções fortes.

Entusiasmados, os mineiros recebem as informações de como irá desenrolar-se a operação de resgate.

Com uma ordem de saída definida anteriormente, cabe a Florencio Ávalos ser o primeiro mineiro resgatado. O mineiro de 31 anos foi o escolhido pela condição física e pela experiência de oito anos de trabalho.

Às primeiras horas do dia 13 de Outubro, escrevia-se o primeiro capítulo. Florencio voltava aos braços da família.

O segundo mineiro a ver a luz do dia foi Mário Sepúlveda. O “Super Mário” como é conhecido mostrou-se o mais expressivo do grupo de mineiros que protagonizaram um resgate inédito.