Última hora

Última hora

Resgate de mineiros chilenos converte-se em espectáculo televisivo

Em leitura:

Resgate de mineiros chilenos converte-se em espectáculo televisivo

Tamanho do texto Aa Aa

Claudia la Torre é uma entre os cerca de dois mil jornalistas que estão a fazer a cobertura das operações de resgate dos mineiros, no Chile, minuto a minuto. É também uma filha da terra, natural de Copiapó.

Leire Otaegi, euronews:
Claudia, os mineiros estão prestes a chegar ao hospital. Qual é o ambiente que se vive aí?

Claudia la Torre:
É surpreendente a atenção das pessoas, a necessidade de ver os mineiros a receber tratamento médico e de os ver vivos. É um milagre e toda a gente quer testemunhar este momento histórico.

euronews:
Como estão as famílias que já reencontraram os parentes enquanto outros continuam à espera?

Claudia la Torre:
Aqueles que já reencontraram a família viveram tudo com muita emoção, com as lágrimas nos olhos. Pude constatar isso ontem, aquando da saída do primeiro homem. Como sou natural daqui, entendo bem como é trabalhar numa mina e como deve ser angustiante estar preso. Antes de chegarem os meios de comunicação social houve muitas lágrimas e a notícia foi-se espalhando. Foi um grande apoio, o da imprensa, que ao mesmo tempo é benéfica porque informa, mas também é preciso ter limites. Ontem algumas famílias tiveram de pedir para parar as câmaras, porque queriam intimidade. Mas todos queriam captar uma imagem. Isso chamou-me à atenção. A mãe do primeiro mineiro gritava para afastar as televisões e tentava abraçar o filho, mas não conseguia. Retirei-me do local. Senti que, como jornalista, estamo-nos a converter em câmaras mais do que em pessoas.

euronews:
Cláudia disse que é uma chilena de Copiapó. Acha que vai mudar alguma coisa no país depois de tudo isto?

Claudia la Torre:
Sim, completamente. Vamos passar de uma cidade tranquila a uma cidade agitada. E isso vai perturbar a vida dos mineiros que vão perder o anonimato. Normalmente são pessoas muito serenas. É por isso que aqui toda a gente mira alguém que fale muito. A vida deles vai mudar, para melhor espero. Vão receber ajudas e espero que aproveitem porque merecem. Por outro lado, o Governo vai tomar medidas e legislar sobre o assunto. Espero grandes mudanças e de uma maneira positiva.

euronews:
Para terminar, o que vai ser da mina de San José a partir de agora, estando todos os mineiros livres e assim que as câmaras abandonarem o deserto de Atacama?

Claudia la Torre:
Há rumores que dizem que os jornalistas vão continuar por aqui para visitar a mina e perceber como é que os homens sobreviveram ao frio da noite, como fizeram sacrifícios. Copiapó espera que este local se mantenha como um espaço histórico.