Última hora

Última hora

Greve paraliza caminhos-de-ferro belgas

Em leitura:

Greve paraliza caminhos-de-ferro belgas

Tamanho do texto Aa Aa

Uma greve de 24 horas dos trabalhadores dos caminhos-de-ferro belgas paralizou quase totalmente o tráfego de comboios no país.

Em Bruxelas as estações foram fechadas e na Valónia não circulava nenhum comboio. Na Flandres, só foram efectuadas algumas ligações ocasionais.

O protesto cortou completamente as ligações de alta velocidade com os países vizinhos, nomeadamente de e para França, Alemanha e Holanda. Também não circulava qualquer Eurostar para Londres.

Um passageiro diz que arriscou porque “na internet indicavam a possibilidade de serem efectuadas algumas ligações, mas aparentemente é um greve total”.

Uma jovem que deveria ir para Londres diz que “é impossível comprar um bilhete, mesmo para amanhã estão completamente esgotados”.

Normalmente, entre 400 e 500 mil pessoas utilizam diariamente os caminhos-de-ferro belgas. O protesto traduziu-se assim em 350 quilómetros de filas nas estradas do país.

A paralização serve para contestar o futuro estatuto dos trabalhadores encarregados da triagem no serviço de cargas e para exigir o pagamento de prémios prometidos em 2008, mas que nunca foram pagos.