Última hora

Última hora

Falta de combustíveis e greves afectam férias em França

Em leitura:

Falta de combustíveis e greves afectam férias em França

Tamanho do texto Aa Aa

São talvez as férias mais complicadas dos últimos anos para os franceses.

As consequências da forte mobilização contra a reforma do sistema de pensões francês estão a ter um impacto considerável no quotidiano dos gauleses, nomeadamente no que diz respeito aos combustíveis e às greves nos transportes.

Uma parisiense defende que “a situação não está a melhorar, mas ainda há gasolina. Há uma grande confusão nos transportes. Os comboios estão à pinha, as pessoas começam a ficar agressivas porque estão fartas. E não acredito que o Estado ceda.”

Entretanto, o Senado francês aprovou a reforma do sistema de pensões proposta pelo governo de Nicolas Sarkozy, que eleva de 60 para 62 anos a idade mínima para aposentação.

O texto, que prevê ainda a subida dos 65 para os 67 anos da idade a partir da qual é possível receber uma pensão completa, foi aprovado com 177 votos a favor e 153 contra.

Numa demonstração de força, a polícia de choque desbloqueou na sexta-feira a principal refinaria da região parisiense, ocupada durante dez dias. Mesmo assim os sindicatos não desmobilizam, como explica Cédric Franco, representante do sindicato CGT.

“Os trabalhadores vão continuar com a greve este fim-de-semana e em relação às requisições vamos outra vez a tribunal na segunda-feira.”

As requisições ordenadas pelas autoridades que permitiram o desbloqueio da refinaria foram consideradas ilegais por um tribunal administrativo, na sexta-feira à noite.

O Prefeito da região parisiense já voltou a emitir uma nova ordem de requisição de pessoal.