Última hora

Última hora

A meia vitória de Cameron contra aumento do orçamento da UE

Em leitura:

A meia vitória de Cameron contra aumento do orçamento da UE

Tamanho do texto Aa Aa

Foi com o sorriso que David Cameron deixou Bruxelas. O primeiro-ministro britânico conseguiu o apoio de outros 12 países contra o aumento do orçamento europeu para 2011.

O grupo forma uma minoria de bloqueio contra os 6% de aumento pedidos pela Comissão e Parlamento Europeus. Os Estados membros não querem ir além dos 2,9% e David Cameron explica porquê: “Tomámos decisões dolorosas em casa para colocar a economia nos eixos e não vou permitir que Bruxelas nos faça descarrilar. Impedimos um aumento louco de seis por cento. O orçamento comunitário tem de reflectir os cortes feitos a nível nacional”.

Londres vinha decidida a impor o congelamento dos aumentos. O certo é antecipou o debate sobre as perspectivas económicas da União e da Política Agrícola Comum (PAC) para 2014-2020 e abriu uma caixa de Pandora que não queria.

A eurodeputada Rebecca Harms, dos Verdes, afirma: “Recomendo ao Conselho Europeu que comece seriamente a debater sobre um orçamento europeu sustentável no futuro, por exemplo, sobre as condições do Reino Unido”, numa referência ao famoso cheque britânico.

Londres recusa abandonar a medida que lhe permite recuperar grande parte da sua contribuição anual, mas para alguns eurodeputados seria bom para começar a reduzir o orçamento comunitário.