Última hora

Última hora

A vingança dos Republicanos nas eleições intercalares

Em leitura:

A vingança dos Republicanos nas eleições intercalares

Tamanho do texto Aa Aa

A vaga vermelha que varreu o mapa político americano é um cartão amarelo dos eleitores a Barack Obama. Um aviso que compromete as ambições do presidente, obrigado a cooperar com os republicanos até ao fim do mandato.

Obama assume a responsabilidade da derrota face a uma América frustrada com o ritmo da cooperação económica: “Nos últimos dois anos, fizemos progressos. Mas é evidente que demasiados americanos ainda não sentiram esses progressos. Foi isso que nos disseram. Enquanto presidente, assumo essa responsabilidade.”

Os Republicanos conquistaram uma larga maioria na Câmara dos Representantes. Roubam 60 assentos aos Democratas e infligem-lhes a maior derrota desde 1948. No Senado, os democratas aguentaram a custo a manutenção da maioria.

Agora, Obama mostra-se disposto a trabalhar com os Republicanos. Mas estarão os conservadores dispostos a cooperar com o presidente?

O professor Charles Kupchan, da Universidade de Georgetown, responde: “Não sabemos o que eles têm na manga. Mas sabemos que disseram que um dos objectivos é assegurar que Obama tenha apenas um mandato. Isso não soa nada bem e sugere que os republicanos vão ter um papel de desmancha-prazeres e não de um partido que vai trabalhar com a Casa Branca.”

O líder dos Republicanos, John Boehner, passou os últimos dois anos a criticar a política “assassina de empregos” de Obama. Agora, vai liderar a Câmara dos Representantes, ser um dos políticos mais influentes dos Estados Unidos e já avisou que quer uma “mudança de rumo”.