Última hora

Última hora

Movimentos pró-Kremlin e ultra-nacionalistas enchem ruas de Moscovo

Em leitura:

Movimentos pró-Kremlin e ultra-nacionalistas enchem ruas de Moscovo

Tamanho do texto Aa Aa

Na Rússia, o Dia da Unidade Popular serviu de pretexto para uma miríade de manifestações pró-Kremlin e ultra-nacionalistas.

Em Moscovo, entre cinco e sete mil militantes da extrema-direita desfilaram com estandartes e palavras de ordem antisemitas e contra a imigração.

Noutro ponto da capital russa, o movimento juvenil pró-Kremlin Nachi juntou mais de 20 mil manifestantes numa demonstração de apoio ao poder.

O desfile exibiu as imagens daqueles considerados como os heróis da Rússia e terminou com a destruição simbólica dos “inimigos da nação”, na grande maioria vozes opositoras do regime.

O Patriarca da Igreja Ortodoxa Russa aproveitou as comemorações para apelar à unidade, sublinhando que as divergências podem conduzir à desintegração do país.

O Dia da Unidade Popular foi instaurado em 2005 pelo então presidente e actual primeiro-ministro Vladimir Putin. Com o objectivo oficial de assinalar o fim da ocupação polaca de Moscovo em 1612, o feriado pretende cimentar a identidade nacional desenraizada pela queda da União Soviética.

Mas uma sondagem recente revela que apenas 10 por cento dos russos conhecem o nome exacto e origem do feriado.