Última hora

Em leitura:

Egemen Bağış: "Mais tarde ou mais cedo, a Turquia será um membro da UE"


Turquia

Egemen Bağış: "Mais tarde ou mais cedo, a Turquia será um membro da UE"

Para conhecermos a reacção turca ao relatório anual da Comissão Europeia sobre os progressos da política de alargamento, a euronews falou com Egemen Bagis, o ministro dos Assuntos europeus e responsável turco pelas negociações de adesão.

Ilker Ozyasar, euronews: Como avalia o relatório?

Egemen Bağış, ministro turco dos Assuntos Europeus: Penso que em vez de fazer uma auto-avaliação do relatório, é correcto compará-lo com os anteriores. Este não é o primeiro, mas o décimo terceiro relatório feito pela Comissão Europeia sobre a Turquia. São publicados desde 1998. No passado, os relatórios evocavam crimes por resolver. Mas hoje, – as alterações constitucionais, a cooperação entre as instituições turcas, a melhoria das relações entre diferentes grupos religiosos na Turquia, a determinação turca em adoptar as reformas exigidas pela União Europeia- o relatório aponta os progressos feitos ao longo do tempo pela Turquia. Mas é simplista fazer avaliações dizendo se estamos ou não contentes. A Turquia não é um aluno à espera do boletim das notas.

euronews: Nas negociações de adesão mais de metade dos capítulos está bloqueada. Ainda tem esperança na adesão da Turquia?

E. Bağış: Claro que estou. As razões do bloqueio dos capítulos são políticas. As razões políticas são a consequência de algumas visões políticas curtas e más interpretações. Mas quando se olha para o assunto, a longo prazo, a União Europeia é o maior projecto de paz da humanidade e a a Turquia é o principal actor de paz da região. A integração da Turquia e da União Europeia é uma exigência da paz global. E posso dizer que ambas as partes vão beneficiar com isso, não apenas uma. Por isso, não tenho dúvidas que mais tarde ou mais cedo a Turquia vai avançar no processo de adesão e será um membro da UE.

euronews: A Turquia pretende fazer um qualquer gesto em relação a Chipre?

E. Bağış: Em Janeiro de 2003, durante uma cimeira da ONU em Davos, o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, assegurou ao secretário-geral Kofi Annan que a Turquia e a República turca do Norte de Chipre iriam estar um passo à frente do Sul de Chipre e da Grécia. Actualmente, não estamos mais avançados, estamos centenas de passos à frente. Nos últimos oito anos, a Turquia fez vários gestos, implementou importantes reformas. É graças a esses gestos que a Turquia melhorou os direitos humanos, a economia e a saúde. Na altura, ajudou a Turquia a distanciar-se no processo de adesão à União Europeia, aproximou a Turquia da UE. Mas agora é a vez das autoridades do Sul de Chipre fazerem gestos. No mundo, todos percebem que a República turca do Norte de Chipre e a Turquia são a favor da paz e de uma solução. Os cipriotas-gregos têm de provar que querem realmente a paz e um compromisso. Se querem de verdade a paz e uma solução, têm de prová-lo.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Visita de Cameron à China começa a dar frutos