Última hora

Última hora

Protesto contra ataques a jornalistas

Em leitura:

Protesto contra ataques a jornalistas

Tamanho do texto Aa Aa

Várias centenas de pessoas manifestaram-se, esta quinta-feira, em pleno coração de Moscovo contra o aumento dos ataques aos jornalistas.
O último foi a Oleg Kashin, de 30 anos e jornalista de um diário russo.
Kashin foi brutalmente agredido, no último sábado.
O jornalista ficou com as pernas, os maxilares e os dedos partidos.

O presidente, Dmitri Medvedev, ordenou ao Procurador-Geral e ao ministro do Interior para assumirem o controlo especial da investigação.
“É muito bom que o inquérito esteja sob controlo especial do presidente e que este não esteja indiferente ao que está a passar no nosso país.
Mas como é que isso pode ajudar? Essa é a questão”, questiona um dos organizadores deste protesto, Anatoly Globa-Mikhailenko.

A Rússia é um dos países mais perigosos para se exercer a profissão de jornalista. Existem 19 casos, por resolver, de jornalistas assassinados desde 2000.

A comissão de protecção de jornalistas, com sede em Nova Iorque, tem notado, ultimamente tendência para se apurar a verdade.
Mas há muito mais a fazer.