Última hora

Última hora

Afeganistão: secretário-geral da NATO discorda de Karzai

Em leitura:

Afeganistão: secretário-geral da NATO discorda de Karzai

Tamanho do texto Aa Aa

O secretário-geral da NATO considera que é necessário prosseguir com as operações militares no Afeganistão.

Para Anders Fogh Rasmussen esta é a única forma de pressionar os insurgentes a negociar com o Governo de Hamid Karzai.

A posição é conhecida um dia depois, de o Presidente afegão ter advertido os Estados Unidos a reduzirem a visibilidade no país sob o risco de exacerbar a rebelião talibã.

A transição das responsabilidades de segurança e de governação para as autoridades afegãs vai dominar a cimeira da Nato em Lisboa, que arranca na próxima sexta-feira. O encontro vai reunir em Portugal cerca de 60 chefes de Estado e de Governo.

Em conferência de imprensa, o secretário-geral da Nato referiu que mais importante que cumprir um calendário é garantir a existência de condições para a retirada. Uma retirada, que afirma deve ser gradual e deve dar ao país a hipótese de se reconstruir com sucesso.

O objectivo é garantir que o governo afegão assuma as rédeas do país até 2014. Para lá chegar é necessário assegurar que existe um determinado número de polícias e soldados afegãos capazes de garantir a segurança do país. Nesta altura de campeonato o envio de mais formadores é, por isso, essencial.