Última hora

Última hora

Fórum em Tânger discute crise nos países emergentes

Em leitura:

Fórum em Tânger discute crise nos países emergentes

Tamanho do texto Aa Aa

A crise económica global e as prioridades dos países do hemisfério Sul, que oscilam entre a crise e o crescimento, foram os temas principais desta terceira sessão do fórum Medays, organizado pelo instituto Amadeus na cidade marroquina de Tânger.

Nesta agenda não poderia faltar tembém uma discussão em torno da cimeira do G20.

, “Le cercle des economistes français” (French economic think tank)

“Não podemos falar de crise em países emergentes que têm, na verdade, um crescimento forte, que é positivo para a economia mundial”, diz o economista francês Jean-Hervé Lorenzi.

Os efeitos da crise são diferentes de um país para outro. Países pequenos como o Vietname têm agora um papel mais importante, apesar da queda nos níveis do comércio internacional.

Os países do chamado grupo BRIC – Brasil, Rússia, Índia e China – recuperaram da crise, mas os países do leste europeu e do Norte de África estão a ter dificuldade em despertar para uma participação mais firme na economia global.

“Penso que devemos aproveitar a crise e descobrir novos caminhos, penso que somos capazes”, diz a vice-presidente do Parlamento Europeu, Rodi Kratsa, também presente na cimeira.

Com a descida da procura nos Estados Unidos e na Europa, os mercados do Sul são cada vez mais uma plataforma para o desenvolvimento da economia através do comércio e do investimento.

Segundo os peritos, o fim da crise global não está para breve, mas os efeitos vão sentir-se mais nos países que a causaram em primeiro lugar.