Última hora

Última hora

Irão: jornalistas alemães acusados de espionagem

Em leitura:

Irão: jornalistas alemães acusados de espionagem

Tamanho do texto Aa Aa

Dois jornalistas alemães foram acusados de espionagem pelas autoridades iranianas. Os repórteres foram detidos em Outubro, quando

entrevistavam o filho de Sakineh Ashtiani, a mulher condenada à morte por lapidação.

Agora, a televisão estatal iraniana difundiu uma entrevista dos jornalistas, ainda que não se possa ouvir o som original. Admitem que foram enganados pela activista Mina Ahadi, a presidente do Comité Internacional contra a Lapidação.

A mesma televisão divulgou outra entrevista atribuída a Sakineh Ashtiani. Uma mulher com o rosto desfocado admite ser uma “pecadora” e pede à activista Mina Ahadi para não se imiscuir no caso.

Mas o caso correu o mundo justamente graças ao Comité Internacional contra a Lapidação, ao filho e aos advogados de Sakineh. Berlim, como muitas outras cidades europeias, foi palco de manifestações que pressionaram o Irão a rever a sentença.

Para culminar, a televisão estatal iraniana mostrou uma alegada entrevista do filho de Sakineh, onde este admite que os advogados o convenceram a mentir aos “media” ocidentais quando disse que a mãe tinha sido torturada.

Sakineh Ashtiani foi primeiro acusada de adultério, pelo qual enfrenta a pena de morte por apedrejamento. Depois, foi acusada de cumplicidade no homicídio do marido, enfrentando também a pena capital por enforcamento.