Última hora

Última hora

Procuradora pede mandado de detenção para fundador do Wikileaks

Em leitura:

Procuradora pede mandado de detenção para fundador do Wikileaks

Tamanho do texto Aa Aa

Uma procuradora sueca solicitou a detenção do fundador do WikiLeaks, por suspeitas de violação e agressão sexual. Uma decisão justificada com a necessidade de interrogar Julian Assange.

As autoridades suecas já tinham emitido um mandado de captura contra o cidadão australiano, em Agosto, mas acabaram por cancelá-lo horas depois.

Assange desmentiu sempre as acusações, que atribuiu a uma “campanha caluniosa”, possivelmente, orquestrada pelo Pentágono.

O jornalista disse mesmo ter sido avisado antes das acusações, pelos serviços secretos australianos, de que poderia ser vítima de uma campanha para desacreditá-lo.

O sítio Wikileaks publicou este ano centenas de milhares de documentos militares secretos dos Estados Unidos sobre a guerra no Iraque e no Afeganistão.

Segundo um dos seus colaboradores, Assange encontra-se no Reino Unido, depois de ter deixado a Suécia, país onde estão alojados muitos dos servidores do Wikileaks.