Última hora

Última hora

Revolta militar em Madagáscar

Em leitura:

Revolta militar em Madagáscar

Tamanho do texto Aa Aa

Apoiado por alguns populares, um grupo de oficiais militares anunciou ter suspendido as instituições governamentais do Madagáscar e constituído um comité para dirigir o país. Mas as altas chefias das forças armadas garantiram que vão esmagar a rebelião.

O líder dos rebeldes explica porque o grupo de militares amotinou-se. “Aqui há a tomada de poder por um conselho militar porque em 18 meses a situação política ainda não foi resolvida”, declarou o coronel Charles Andrianasoavina.

O militar dissidente foi um dos militares que em Março do ano passado ajudou o presidente Andry Rajoelina a tomar conta das rédeas da quarta maior ilha do mundo.

A rebelião acontece no mesmo dia em que se votaram alterações à constituição. Aparentando tranquilidade, Rajoelina garante que o povo ainda está com ele e que os amotinados são uma minoria.

Alguns analistas consideram que para já existe apenas uma guerra de comunicados mas que a situação pode degenerar muito facilmente.