Última hora

Última hora

França: Chirac e Villepin acusados de "homicídio involuntário"

Em leitura:

França: Chirac e Villepin acusados de "homicídio involuntário"

Tamanho do texto Aa Aa

Jacques Chirac e Dominique de Villepin são acusados de “homicídio involuntário” pelas famílias das vítimas do atentado de Karachi, em 2002.

O antigo presidente da República e o ex-primeiro-ministro são acusados de terem instigado a vingança do exército paquistanês ao acabarem com um esquema fraudulento de venda de armas assim que chegaram ao poder em 1995.

Mas o escândalo envolve também Nicolas Sarkozy,

que era ministro do Orçamento quando, em 1994, foi contratualizada a venda de três submarinos ao Paquistão por 850 milhões de euros. Nessa altura, o primeiro-ministro era Edouard Balladur, que estava em campanha para as presidenciais.

A acusação diz que o contrato foi conseguido graças à atribuição de comissões a elementos do exército paquistanês e uma parte do dinheiro voltaria a França para financiar, justamente, a campanha presidencial de Balladur, cujo porta-voz era Sarkozy.

A tese de ligação entre a interrupção das comissões e o atentado ganha cada vez mais força. Em Maio de 2002, um ataque suicida em Karachi fez 15 mortos, incluindo 11 franceses que trabalhavam na construção naval dos submarinos.

A sustentar a acusação, um alto funcionário testemunhou esta quinta-feira que Chirac ordenou o fim das transferências de dinheiro em 1995. Uma investigação do jornal Libération concluiu que os subornos continuaram a chegar até 2001, um ano antes do ataque.