Última hora

Última hora

Crescimento e emprego na cimeira Bruxelas-Washington

Em leitura:

Crescimento e emprego na cimeira Bruxelas-Washington

Tamanho do texto Aa Aa

Foi a última cimeira, à margem da reunião magna da Nato que decorreu em Lisboa.

União Europeia e Estados Unidos passaram em revista o estado das relações transatlânticas, descritas no final como “excelentes”.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama disse mesmo que a reunião foi fácil, por não existirem dificuldades de qualquer ordem, entre Bruxelas e Washington:

“Esta cimeira não foi tão emocionante como as outras reuniões, porque nós concordámos basicamente com tudo. Os Estados Unidos precisam e querem uma Europa forte e unida”.

Houve acordo em todas as matérias, mas a delegação de Bruxelas enfatizou as questões económicas.

Durão Barroso disse que o crescimento e o emprego precisam de soluções, dos dois lados do Atlântico. É isso que as sociedades desejam:

“Dos dois lados do Atlântico o crescimento e o emprego são questões que os nossos cidadãos esperam de nós. E eu acredito que há um grande potencial em áreas como as tecnologias limpas e a inovação, muitas áreas onde os Estados Unidos e a União Europeia podem beneficiar de uma cooperação reforçada”.

Sem grandes questões políticas para resolver, a União Europeia, preocupada com a sua própria crise, relevou os assuntos económicos.