Última hora

Última hora

Irlanda mergulha numa crise política

Em leitura:

Irlanda mergulha numa crise política

Tamanho do texto Aa Aa

A Irlanda corre o risco de convocar eleições gerais em Janeiro.

Depois da crise financeira e económica, o país mergulha, agora, numa crise política.

Esta segunda-feira, os Verdes abandonaram a coligação Governamental. Uma decisão que o partido justifica com a necessidade de acabar com as incertezas políticas.

Os Verdes vão manter-se em funções até dia 07 de Dezembro, altura em que vai ser aprovado o Orçamento de Estado.

“Não podemos continuar a fazer parte deste Governo depois de termos cumprido as nossas tarefas e foi o que fizemos: alinhámos a aprovação do orçamento de Estado, do plano de austeridade para os próximos quatro anos e as discussões com a União Europeia. E era isso que devíamos fazer em nome do interesse nacional” afirma John Gormley.

Os Verdes contam com seis deputados no Parlamento onde o executivo de coligação dispõe de uma maioria de, apenas, três lugares.

“No que toca ao Governo estamos a concentrar todas as nossas energias na aprovação do Orçamento que é vital e do interesse nacional”

refere o ministro das Finanças, Brien Lenihan.

Um especialista irlandês admite numa que o cenário de eleições antecipadas pode ganhar força se outras formações seguirem o exemplo dos Verdes.

Brian Lucey considera que “é possível se os independentes retirarem o apoio ao Governo e pedirem à Presidente do país para dissolver o Parlamento. Ela não é obrigada a fazê-lo e pode dizer “não”. Estamos num território político e económico desconhecido.”

O primeiro-ministro está debaixo de fogo e muitos consideram que Brian Cowen vai ser forçado a abandonar o cargo nas próximas semanas.