Última hora

Última hora

Nova demonstração de força na península coreana

Em leitura:

Nova demonstração de força na península coreana

Tamanho do texto Aa Aa

É a resposta de Washington, um dia depois do ataque de Pyongyang contra uma ilha da Coreia do Sul.

O porta-aviões norte-americano George Washington está a caminho da península Coreana. A bordo seguem 75 aviões e cerca de 6000 soldados.

Os exercícios militares arrancam no próximo domingo e vão durar três dias. Washington quer mostrar a Pyongyang que a aliança Estados Unidos/Coreia do Sul está mais forte que nunca:

“A Coreia do Sul é nossa aliada. Assim, tem sido desde a guerra entre as duas Coreias e queremos reafirmar o nosso compromisso na defesa de Seul como parte dessa aliança” afirma o Presidente norte-americano, Barack Obama.

Muitos analistas consideram que o ataque desta terça-feira faz parte da estratégia de consolidação do poder de Kim Jong-Un, o sucessor do actual líder norte-coreano.

Pyongyang descarta responsabilidades no bombardeamento de ontem e acusa Seul de ter dado os primeiros tiros.

Certa e para já parece ser a morte de pelo menos quatro pessoas. Aos dois militares de ontem, somam-se, agora, dois civis.

Os cerca de 1500 habitantes da ilha situada a oeste da península no mar Amarelo foram levados para abrigos e algumas dezenas deixaram a ilha horas depois do ataque.

Esta zona perto da fronteira marítima entre os países vizinhos é cobiçada por Seul e Pyongyang e, nos últimos meses, tem sido palco de vários incidentes.