Última hora

Última hora

Ministro da Defesa sul-coreano demite-se

Em leitura:

Ministro da Defesa sul-coreano demite-se

Tamanho do texto Aa Aa

Sucedem-se os protestos por toda a Coreia do Sul, dois dias depois do incidentes militares com  a vizinha Coreia do Norte.
 
A tensão política mantém-se e o alvo da fúria das multidões é, sobretudo, o lider do norte, Kim Yong il.
 
Mas também o filho, apontado como putativo sucessor.
 
Os protestos levaram também o ministro da Defesa da Coreia do Sul à demissão.
 
Kim Tae-young não resistiu às críticas e, esta quinta-feira, resignou à função.
 
Era acusado de brandura, na resposta ao ataque da Coreia do Norte que fustigou a ilha de Yeonpyeong.
 
Nas últimas horas, a guarnição militar da ilha foi reforçada, depois das ameaças de Pyongyang.
 
Se houver novas provocações, a resposta será ainda mais devastadora, diz o regime norte-coreana.
  
As atenções voltam-se agora para os exercícios militares conjuntos, entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos, que dvem começar no póximo domingo.
 
A China diz que eles ameaçam a sua própria segurança e a estabilidade regional.
 
Pequim considera urgente que se retomem as negociações para a desnuclearização da Coreia do Norte.
 
E este clima de crispação não contribui para um ambiente negocial.