Última hora

Última hora

Azerbaijão procura crescer como nação "hi-tech"

Em leitura:

Azerbaijão procura crescer como nação "hi-tech"

Tamanho do texto Aa Aa

O Azerbaijão é sobretudo conhecido pelo petróleo do Mar Cáspio. Mas o investimento do país na tecnologia é cada vez maior, como o demonstra a maior exposição regional dedicada ao sector em Baku, a capital do país.

Uma grande variedade de produtos inovadores e de serviços estão expostos na BakuTel e abrangem sectores que vão desde sistemas de segurança de

comunicação a aplicações culturais e educativas, concebidas por programadores estrangeiros e locais.

Um modelo real a três dimensões da capital azerbaijanesa, por exemplo, pode ser uma ferramenta extremamente útil para o desenvolvimento urbano e aplicações de negócios.

A progressão súbita recente das exportações de gás permitiu ao país progredir de forma surpreendente no sector das telecomunicações.

O Azerbaijão ainda utiliza em parte o sistema telefónico da época soviética que não chega às regiões mais recônditas, o que faz das comunicações sem fio e por satélite uma prioridade nacional.

Outro dos desafios que o país enfrenta é a contaminação do solo, ar e água com poluentes tóxicos provocados por décadas de exploração industrial negligente.

Uma mudança de rumo para uma economia baseada nas tecnologias de informação e comunicação poderá ser uma parte da solução para o problema.

Graças à experiência e cooperação da Estónia, as autoridades de Baku estão a desenvolver um projecto à escala nacional que implica a criação de uma infra-estrutura de governo electrónico.

Outro grande projecto apresentado na exposição BakuTel é uma rede de banda larga que liga a região à Europa e ao extremo oriente através de uma super auto-estrada de informação feita com fibra óptica.

“O petróleo e o gás vão acabar por se esgotar um dia, mas a tecnologia, as indústrias inovadoras e o investimento na ciência, terão sempre procura. No futuro, vemos o nosso país como um dos países mais desenvolvidos do mundo. Sem um sector de tecnologias de informação forte será impossível conseguir este objectivo”, diz Ilham Aliyev, presidente do Azerbaijão.

Estimativas recentes indicam que as reservas de petróleo do Azerbaijão têm uma duração de vida de mais 30 anos.

É uma corrida contra o tempo para construir uma alternativa económica sustentável neste país situado no cruzamento entre a Europa e a Ásia.