Última hora

Última hora

Mercados reagem com cautela ao plano de ajuda financeira à Irlanda

Em leitura:

Mercados reagem com cautela ao plano de ajuda financeira à Irlanda

Tamanho do texto Aa Aa

Os mercados reagiram de forma positiva mas sem grande entusiasmo ao plano de ajuda financeira à Irlanda.

Esta manhã, os títulos dos bancos britânicos, principais credores dos irlandeses, abriram em ligeira alta.

Nas bolsas de Paris e Frankfurt a euforia foi menor, com valorizações inferiores a meio ponto percentual.

Em Tóquio, o valor do euro desceu para o nível mais baixo dos últimos dois meses. Mas o Banco Central Europeu (BCE) rejeita críticas à moeda única.

“Nenhum dos 16 países teria interesse em pôr em causa uma realização tão importante. Pôr em causa o euro está fora do debate”, disse Christian Noyer, membro do Conselho de governadores do BCE.

Dos 85 mil milhões de euros de ajuda à Irlanda, a banca vai receber 35 mil milhões de euros, dos quais dez mil milhões imediatamente.

-

Mas os mercados continuam inquietos depois de a França e de a Alemanha terem evocado um plano de reestruturação das dívidas públicas que implicaria uma perda financeira para os investidores.

O BCE quer convencer os mercados da solidez do plano de ajuda da União Europeia. Mas os investidores estão de olhos postos na dívida portuguesa e espanhola.

Ontem, a ministra das Finanças de Espanha reconheceu que “a especulação existe”, que é preciso contar com os investidores que “desejam ganhar dinheiro no curto prazo” e que, por outro lado, “é necessário melhorar a regulação financeira”.