Última hora

Última hora

Presidente russo prevê "corrida ao armamento" se acordo com a NATO falhar

Em leitura:

Presidente russo prevê "corrida ao armamento" se acordo com a NATO falhar

Tamanho do texto Aa Aa

No discurso anual à nação, o presidente russo deixou um recado à NATO: se as negociações para a criação de um sistema antimíssil comum falharem, poderá haver uma nova corrida ao armamento.

Na cimeira Lisboa, a NATO alcançou um acordo histórico com a Rússia. O objectivo é criar um sistema conjunto para deter mísseis de médio e longo alcance.

“Gostaria de dizer abertamente que nos próximos dez anos vamos ter que fazer escolhas: ou conseguimos um acordo construtivo sobre a defesa antimíssil e criamos um mecanismo de colaboração conjunta ou então, se falharmos o acordo, poderá haver uma nova corrida às armas e teremos de tomar uma decisão sobre a instalação de novos sistemas de ataque”, sublinhou Dimitri Medvedev.

De acordo com a imprensa norte-americana, na cimeira da NATO em Lisboa, o chefe de Estado russo terá feito uma proposta aos dirigentes da Aliança Atlântica. A ideia é que a Rússia assuma a defesa antimíssil em caso de ataque ao seu território europeu ou às suas zonas da responsabilidade.

Dimitri Medvedev aproveitou a ocasião para sublinhar que o crescimento económico da Rússia em 2010 deverá rondar os 4%.

O chefe Estado anunciou ainda novas medidas para apoiar a natalidade face à grave crise demográfica que o país atravessa.