Última hora

Última hora

Militares a favor do fim da lei "Don't Ask, Don't Tell"

Em leitura:

Militares a favor do fim da lei "Don't Ask, Don't Tell"

Tamanho do texto Aa Aa

O serviço militar nos Estados Unidos pode estar à beira de abrir as portas a homossexuais.

Segundo um inquérito realizado a militares norte-americanos, mais de 70 por cento dos inquiridos acredita que esta medida não traria qualquer consequência “traumática” para as forças armadas.

O Secretário da Defesa norte-americano, Robert Gates, acredita que está na altura de mudar. “Na minha opinião, as preocupações das tropas de combate, expressas na pesquisa, não apresentam uma barreira intransponível para a revogação da lei “ Don’t Ask, Don’t Tell.” Isto pode e deve ser feito”.

O Senado norte-americano prepara-se para votar a anulação desta lei nas próximas semanas.

Esta política, adoptada pelo Pentágono desde 1983, já levou muitos militares a serem afastados apenas porque “saíram do armário”. Como comprova Stacy Vasquez, ex-sargento: “Com a lei “ Don’t Ask, Don’t Tell”, uma das incorrecções é que se eu não disser nada, não corro risco, mas as outras pessoas podem descobrir e contar por isso vive-se em constante receio. “

O relatório deveria ser factual mas os autores acabaram por advogar a extinção da actual política.

O debate em torno desta matéria atrasou a aprovação pelo Senado do orçamento militar para 2011, que contempla a anulação da lei.