Última hora

Última hora

Espanha: terminou o bloqueio do espaço aéreo

Em leitura:

Espanha: terminou o bloqueio do espaço aéreo

Tamanho do texto Aa Aa

O espaço aéreo espanhol já reabriu.

Os primeiros voos começaram a descolar ao princípio da noite de sábado, mas, segundo o governo serão precisas 48 horas para a situação normalizar.

Um dos primeiros voos a sair do aeroporto de Barajas em Madrid tinha como destino Itália. Uma passageira mostra-se aliviada:

“Estou satisfeita, estou feliz, nem quero acreditar. Foi horrível, passámos uma noite inteira e uma manhã sem saber nada”.

Mas para muitos será ainda uma noite mais no aeroporto. A greve selvagem dos controladores aéreos afectou cerca de 600 mil passageiros em vários países e foi particularmente dura para os espanhóis que se preparavam para um fim-de-semana longo.

Alguns não escondem o desagrado com a atitude destes profissionais:

“Os controladores são de uma prepotência impressionante. Não têm nenhuma razão para tomar como reféns crianças, idosos e gente que não tem capacidade para aguentar aqui toda a noite. É degradante”

Face ao caos criado pelo abandono do trabalho na sexta-feira por parte dos controladores aéreos, o governo decidiu que “para grandes males, grandes remédios” e decretou o estado de alerta, uma medida de excepção que torna possível perseguir os grevistas por desobediência.

“Os controladores estão agora mobilizados, o que quer dizer que se não voltam ao trabalho correm, o risco de ser julgados no âmbito do código penal militar”, anunciou o ministro do Interior.

Em pleno período de austeridade, o governo considera intolerável o braço-de-ferro dos controladores, cujos salários oscilam entre os 360 mil e os 600 mil euros por ano.

Os sindicatos do sector queixam-se de perda de regalias em termos salariais e organização do trabalho.