Última hora

Última hora

Continental Airlines responsabilizada por acidente do Concorde

Em leitura:

Continental Airlines responsabilizada por acidente do Concorde

Tamanho do texto Aa Aa

A Justiça francesa responsabilizou a Continental Airlines pelo acidente do Concorde da Air France, no ano 2000.

Para o tribunal de Pontoise, a catástrofe foi provocada por uma peça de metal caída de um aparelho da companhia aérea americana. Mas a Continental Airlines garante que o avião da Air France já estava em chamas quando tocou na peça.

A empresa americana vai recorrer da sentença, que a condenou a uma multa de 200 mil euros e a pagar um milhão de euros por danos e interesses à Air France.

“Tentou-se proteger a França, tomar uma decisão em nome do patriotismo e não nos termos da lei. Afastou-se da verdade e consequentemente da Justiça”, acusou o advogado da Continental Airlines, Olivier Metzner.

Já o representante da Air France, Fernand Garnault, congratulou-se com a decisão: “Eu diria que o acórdão está completamente de acordo, até aos últimos detalhes, com o que a Air France sempre defendeu”.

O advogado das famílias das vítimas, Roland Rappapor, não compreende como apenas um mecânico foi condenado a 15 meses de pena suspensa. “Não entendo como se pode considerar que um mecânico cometeu um erro ao não prever as consequências de um rebentamento de um pneu, enquanto o construtor e a administração apenas cometeram uma negligência simples”, sublinhou.

Três responsáveis da aeronáutica francesa foram ilibados pelo tribunal.

A sociedade EADS, que sucedeu àquela que construiu o Concorde, foi considerada civilmente responsável e deve pagar 30% das indemnizações às famílias das vítimas.

A companhia aérea americana, agora chamada United Continental Holdings, é responsável pelos restantes 70 por cento.