Última hora

Última hora

Costa do Marfim: UE ameaça impor sanções

Em leitura:

Costa do Marfim: UE ameaça impor sanções

Tamanho do texto Aa Aa

Um país, dois presidentes. Os jornais espelham a divisão da Costa do Marfim. O presidente cessante, Laurent Gbagbo, e o candidato rival, Alassane Ouattara reclamaram vitória e empossaram dois governos.

A União Europeia ameaça impor sanções se a crise política não for resolvida rapidamente. Um eventual corte na ajuda ao desenvolvimento poderia ser dramático, já que está em curso um apoio de 255 milhões de euros ao longo de vários anos.

Para Ouattara, a única solução é a desistência de Gbagbo. Face aos jornalistas, adiantou que a mensagem da União Africana é que “a democracia o escolheu como presidente e que a decisão do povo deve ser respeitada por todos”.

Em vez de acabar com uma década de crise, as eleições podem agravar a divisão entre o norte, que apoia Ouattara, e o sul, controlado por Gbagbo.

Um residente de Abidjan confessa que “seja qual for o presidente, há que aceitá-lo em nome da paz social e para que o país possa avançar”.

A comunidade internacional teme que a Costa do Marfim avance para a violência. Ainda hoje, apoiantes de Ouattara, saíram às ruas para expressar a revolta.

Recorde-se que o Tribunal Constitucional deu a vitória a Gbagbo depois de ter invalidado os resultados da Comissão Eleitoral Independente, que davam Ouattara como legítimo vencedor.