Última hora

Última hora

China encostada à parede

Em leitura:

China encostada à parede

Tamanho do texto Aa Aa

Aumenta a pressão sobre Pequim e Moscovo.

Os Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul querem resolver a crise na Península Coreana, uma tarefa que se adivinha difícil sem a ajuda da China e da Rússia.

A secretária de Estado norte-americana reuniu-se ontem, em Washington, com os homólogos japonês e sul-coreano. No final do encontro Hillary Clinton falou a uma só voz:

“Esperamos que a China se junte a nós para que possamos enviar uma mensagem clara e inequívoca à Coreia do Norte: que é necessário demonstrar seriedade na intenção de acabar com as provocações.”

Pyongyang atacou uma ilha sul-coreana há menos de duas semanas. Pequim, o principal aliado da Coreia do Norte, nunca condenou o ataque.

Esta segunda-feira, o Presidente chinês admitiu durante uma conversa telefónica com Barack Obama que a situação na Península Coreana pode ficar fora de controlo.

À margem das manobras diplomáticas, a Coreia do Sul arrancou com novos exercícios navais desafiando os avisos deixados pelo país vizinho.