Última hora

Última hora

União Africana pede renúncia de Gbagbo

Em leitura:

União Africana pede renúncia de Gbagbo

Tamanho do texto Aa Aa

Sucedem-se os apelos para que o presidente da Costa do Marfim respeite os resultdaos das eleições e abandone o poder.

Mas Laurent Gbagbo não dá qualquer sinal nesse sentido. Esta terça-feira, fez-se fotografar com o seu gabinete, uma atitude interpretada como uma afirmação de que está para ficar.

O presidente da União Africana, Bingu wa Mutharika, aconselhou-o a retirar-se e a aceitar o resultado das eleições.

O presidente do Malawi não tem dúvidas, diz que o vencedor foi mesmo Alassane Ouatara.

E o vencedor diz que tem feito tudo, para restabelecer a calma.

“Fiz tudo o que era possível, ao longo dos últimos dias, para acalmar as tensões”.

Tensões que pode transformar-se numa guerra civil.

Os rebeldes dos norte ameaçam avançar sobre a cidade de Abidjan, se o presidente insistir em manter-se no poder.

A eminência de uma guerra civil está a assustar os estrangeiros que procuram abandonar o país.

Mas há outros que mantém a confiança:

“Nós estamos calmos e pensamos que desta vez nada de mal acontecerá aos estrangeiros…”, diz uma mulher francesa.

O exército controla as ruas da capital, depois de decretado o recolher obrigatório.

A Comunidade Económica dos Estados do Oeste Africano e a Comissão Eleitoral Independente reconhecem Ouatará como vencedor, com 54.1 por cento dos sufrágios.

Mas o Conselho Constitucional,afecto ao presidente, anulou este resultado e atribuiu a vitória de Gbagbo.