Última hora

Última hora

Um só cartão para alugar bicicletas e carros em Bolonha

Em leitura:

Um só cartão para alugar bicicletas e carros em Bolonha

Tamanho do texto Aa Aa

Um só cartão para andar de autocarro, de bicicleta ou alugar um carro.

A medida faz parte da estratégia da cidade de Bolonha para reduzir o tráfego e a poluição no centro histórico. Um plano inovador onde nada é inventado. O objetivo é aproveitar ao máximo as tecnologias já existentes.

Ao mesmo tempo, a cidade reforçou a oferta de transportes públicos e o uso de combustíveis não poluentes.

“Fechámos o centro da cidade ao tráfego para reduzir o número de carros em circulação. É uma cidade medieval, com ruas muito estreitas e com uma capacidade limitada”, explica Fabio Cartolano do Serviço de Mobilidade Urbana da cidade de Bolonha.

O sistema de controlo de tráfego repousa sobre o uso de câmaras de vigilância posicionadas à entrada da zona histórica.

Só os autocarros, os táxis e os veículos dos moradores são autorizados a circular.

Em contrapartida, os transportes públicos foram melhorados.

“Para quem quer evitar o carro, há uma rede pública de bicicletas que qualquer pessoa pode usar, e várias linhas de eléctricos e autocarros movidos a metano”, acrescenta Fabio Cartolano.

Para evitar engarrafamentos e permitir a circulação dos autocarros, a patrulha é feita com radares móveis.

“Muitas pessoas vêm aqui e dizem: não é verdade, eu não estava a conduzir, não estava em fila dupla, mas quando vêem a foto, calam-se, pagam e vão-se embora”, diz Finarelli Giovanni.

Para diminuir o tráfego, o munícipio de Bolonha aposta no ‘car sharing’, a partilha de carros.

As viaturas estão disponíveis em parques de estacionamento. O passe do autocarro serve também para desbloquear o carro e aceder às chaves. Os carros pertencem à empresa de transportes públicos.

“O uso das tecnologias torna os transportes públicos mais eficientes em termos de rapidez e regularidade e mais competitivos em relação ao transporte privado. O que convence as pessoas a passar do transporte particular aos veículos públicos. Obviamente, isso é benéfico para o ambiente e reduz o tráfego”, diz Carlini Cleto, Director do Serviço de Mobilidade Urbana.

Com uma redução do número de carros de 25%, a população de Bolonha pode desfrutar de uma cidade mais calma e menos poluída.