Última hora

Última hora

Haitianos protestam contra lenta recuperação do país

Em leitura:

Haitianos protestam contra lenta recuperação do país

Tamanho do texto Aa Aa

Um ano depois do sismo que atingiu o Haiti, mais de um milhão de pessoas continua a viver em tendas e acampamentos.

A agravar a situação está a epidemia de cólera que atinge o país, um terreno fértil para a propagação da doença.

Os escombros e a falta de condições de salubridade continuam a fazer parte do dia-a-dia de milhares de pessoas.

A revolta da população intensifica-se numa altura em que se assinala um ano sobre a tragédia.

Esta quarta-feira, várias pessoas gritaram por mais justiça para as vítimas do sismo. Ao mesmo tempo acusaram o presidente René Preval, as Organizações Não Governamentais e a Missão de Estabilização da ONU pelo lento processo de reconstrução.

Para outros, a revolta traduz-se em lágrimas. Foi o que aconteceu com milhares de pessoas que assistiram a uma missa junto à catedral do Haiti, completamente arrasada pelo sismo.