Última hora

Última hora

Presidente do Sindicato dos Jornalista da Tunísia: "Não queremos que aconteça o pior"

Em leitura:

Presidente do Sindicato dos Jornalista da Tunísia: "Não queremos que aconteça o pior"

Tamanho do texto Aa Aa

Para uma visão mais aprofundada dos últimos acontecimentos na Tunísia, a euronews contactou Neiji el-Beghouri, o presidente do sindicato dos jornalistas daquele país:

“Na noite passada registaram-se confrontos entre manifestantes e forças da ordem nos arredores da capital. Segundo os relatórios dos sindicatos e de juristas, o número de mortos é de 16. A situação aqui, continua aberta a todas as eventualidades. Não queremos que aconteça o pior, queremos apenas encontrar um clima de democratização que respeite os Direitos do Homem e todas as liberdades: a liberdade de imprensa, de expressão e de manifestação. Um clima onde possamos fazer frente à corrupção e ao abuso de poder, e que dê a todos a possibilidade de partilhar em igualdade a riqueza do país”.

Os protestos contra o aumento do desemprego e a corrupção constituem a mais importante contestação ao regime do presidente Ben Ali, de 74 anos, no poder há 23.

Vários países, entre os quais Portugal, já aconselharam os seus cidadãos a não se deslocarem à Tunísia.