Última hora

Última hora

Nabucco: a UE abre a via à alternativa ao gás russo

Em leitura:

Nabucco: a UE abre a via à alternativa ao gás russo

Tamanho do texto Aa Aa

Durão Barroso assinou ontem, na capital do Azerbaijão, um acordo que deverá reduzir a dependência europeia do gás russo a partir de 2015.

O compromisso prevê o acesso direto da União Europeia aos recursos em gás do mar Cáspio, via vários gasodutos instalados no chamado “corredor Sul”.

Uma forma de contornar o território russo, depois da crise entre Moscovo e a Ucrânia que, em 2009, paralisou o fornecimento de gás a vários países do leste da Europa.

O gasoduto Nabucco deverá assim contornar o território russo ligando o mar Cáspio à Europa, via a Turquia e o sudeste europeu, ao longo de 3 mil quilómetros.

Moscovo, por seu lado, prepara a construção de um gasoduto concorrente, batizado “South Stream”, em parceria com a Itália, que deverá percorrer o fundo do mar Negro, contornando a Ucrânia.

O gasoduto Nabucco, com uma capacidade de entre 45 mil a 90 mil milhões de metros cúbicos de gás, deverá fornecer entre 10 a 20% das necessidades energéticas da Europa em 2020.