Última hora

Última hora

Tunísia: autodefesa e ajuste de contas nas ruas

Em leitura:

Tunísia: autodefesa e ajuste de contas nas ruas

Tamanho do texto Aa Aa

São homens de diferentes idades, estão armados com o que podem e juntaram-se num impulso de autodefesa. Os comités de vigilância foram criados pelos tunisinos para proteger os seus bairros.

Os carros suspeitos são mandados encostar para serem revistados. Os residentes acusam as forças fiéis ao presidente deposto de serem as responsáveis pelas pilhagens verificadas desde a fuga de Ben Ali, na sexta-feira.

“São as forças especiais do antigo regime que querem instalar o caos. É uma ordem do ex-presidente antes de ter fugido”, comenta um habitante.

O nervosismo e o medo pairam no ar. A situação fica facilmente fora de controlo. Um dos voluntários do comité de vigilância tentou parar um carro, mas foi alvejado mortalmente por uma das pessoas a bordo. Foi um polícia que disparou, dizem os residentes, depois de terem encontrado um documento perdido durante a fuga.

Enquanto a família chora a vítima, assiste-se a um outro tiroteio nas ruas que acaba numa cena de justiça popular.

É a mesma sede de justiça que espera o ex-chefe da segurança do regime, detido este domingo. É acusado de incitação à violência e de estar por detrás das milícias responsáveis pelas pilhagens e pelo vandalismo.