Última hora

Última hora

EUA querem "encontrar o máximo de pontos em comum com a China"

Em leitura:

EUA querem "encontrar o máximo de pontos em comum com a China"

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente chinês, que se encontra no Estados Unidos para uma visita de quatro dias, foi recebido com honras militares por Barack Obama.

O último ano foi de grande tensão entre as duas maiores economias mundiais, com a política cambial chinesa a irritar os norte-americanos.

A China decidiu já flexibilizar a cotação do Yuan.

A Secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, afirmou, esta quarta-feira, que Obama “quer encontrar o máximo de pontos em comum com a China”.

A questão dos direitos humanos na China será, também, um dos temas quentes nas conversações entre os dois chefes de Estado. Um tema delicado pois o sucessor de Obama como Prémio Nobel da Paz, Liu Xiaobo, está preso por ter exigido reformas democráticas.

Após uma conversa na Sala Oval, o presidente norte-americano oferece a Jintao um jantar de Estado, o terceiro concedido por Obama a um presidente estrangeiro em dois anos de presidência.