Última hora

Última hora

Altos dirigentes da Bielorrússia na mira de eurodeputados

Em leitura:

Altos dirigentes da Bielorrússia na mira de eurodeputados

Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia prepara-se para adotar sanções económicas contra o regime bielorrusso e proibir a entrada de altos dirigentes na Europa. Medidas que poderão ser adotadas até final do mês.

Na resolução aprovada em Estrasburgo, os eurodeputados pedem a Bruxelas que proíba a entrada e permanência na União Europeia de altos dirigentes da Bielorrússia até que os prisioneiros políticos sejam libertados.

Os eurodeputados lembraram o caso de Mikolai Statkiewicz, em greve de fome, há um mês.

Cerca de 700 pessoas foram detidas após as contestadas eleições presidenciais. Quatro líderes da oposição continuam atrás das grades.

A recondução ao poder de Lukachenko levou para as ruas cerca de 20 mil pessoas. Um escrutínio que a oposição denuncia como fraudulento.

Um mês após a violenta repressão em Minsk, a polícia voltou à carga durante uma vigília: cerca de duas dezenas pessoas foram interpeladas.

É neste ambiente que Lukashenko prepara a tomada de posse como presidente para esta sexta-feira. Uma cerimónia que os embaixadores dos países da União Europeia na Bielorrússia prometem boicotar.

Os analistas consideram que o último ditador da Europa, no poder há 17 anos, está a tentar legitimar o novo mandato o quanto antes.