Última hora

Última hora

Tunísia: presidente interino promete "rutura com o passado"

Em leitura:

Tunísia: presidente interino promete "rutura com o passado"

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente interino da Tunísia promete “uma ruptura completa com o passado”. Numa intervenção televisiva, Fuad Mebazaa sublinhou o empenho do governo em “separar o Estado do RCD”, o partido do presidente deposto que dominou o país durante 23 anos.

A televisão estatal afirmou que foram detidos 33 membros do clã de Ben Ali por crimes contra a nação, mostrando imagens de joias, ouro e cartões de crédito apreendidos.

O líder da oposição Najib Cheebi, nomeado para o ministério do Desenvolvimento, disse ontem que foram libertados os últimos presos políticos.

Ao microfone da euronews, Cheebi frisou que “a credibilidade do executivo vem de dois elementos: a sua composição e aquilo que faz. Os ministros que faziam parte do anterior governo são pessoas que estavam excluídas do círculo político dominado por Ben Ali e restringido aos conselheiros do presidente. É por isso que sempre exigimos para o governo uma posição de relevo nas decisões, o que não era o caso”.

Nas ruas da capital, continuam os protestos para a exclusão dos membros do executivo de transição ligados ao anterior regime.

Dezenas de tunisinos decidiram mesmo desafiar o recolher obrigatório. Contrariamente a dias anteriores, as autoridades fizeram prova de retenção face aos manifestantes.