Última hora

Última hora

Fracasso nas negociações sobre o programa nuclear iraniano

Em leitura:

Fracasso nas negociações sobre o programa nuclear iraniano

Tamanho do texto Aa Aa

Este sábado, em Istambul, após dois dias de negociações com as grandes potencias, o negociador iraniano, Saeed Jalili, afirmou que todo o acordo deve basear-se no direito do Irão em dispor de combustível nuclear e que o direito do Irão a enriquecer urânio deve de ser respeitado.

A representante da diplomacia europeia, Catherine Ashton, expressou a deceção das grandes potencias face à atitude dos iranianos:

“Tornou-se claro que o lado iraniano não estava preparado para isto, a menos que concordássemos com condições prévias ligadas ao enriquecimento de urânio e às sanções. Mas estas condições previas não são maneira de proceder.”

Ashton sublinhou que o grupo dos seis ( 5+1 Estados Unidos, Rússia, China, França e Grã-Bretanha, mais a Alemanha) continua unido sobre o tema e considera inaceitáveis as condições colocadas pelo Irão.

Para Saiid Jalili “o respeito pelos direitos das nações não é uma recomendação mas uma exigência. Se, em vez da lógica comum são utilizados outros instrumentos, não se pode dizer que há diálogo, mas sim uma imposição.”

Durante as negociações o Irão afirmou sempre que estava fora de questão o simples evocar da suspensão das suas atividades de enriquecimento de urânio.

As potências ocidentais suspeitam que o Irão pretende desenvolver armamento nuclear, Teerão defende-se afirmando que pretende usar a energia nuclear unicamente para fins civis.