Última hora

Última hora

Tunísia: aumenta a contestação popular

Em leitura:

Tunísia: aumenta a contestação popular

Tamanho do texto Aa Aa

Uma marcha de protesto contra o governo interino da Tunísia chegou à capital, Tunes, este domingo,
aumentando a pressão sobre o Primeiro-ministro Mohamed Ghannouchi.
 
Perto de 1.000 manifestantes, vindos da zona rural, protestam em frente à sede do Governo, em Tunes, para exigir a demissão Ghannouchi que serviu o deposto Presidente Ben Ali.
 
“O povo quer derrubar este governo” é a palavra de ordem que se faz ouvir.
 
Derrubar o Governo é ideia comum a todos os manifestantes.
 
“Temos de acabar com isto para sempre. Ghannouchi e todos eles, temos de os expulsar para sempre.” afirma um dos manifestantes.
 
Outro cidadão revela abertamente a razão do protesto: “Estamos aqui para derrubar o ditador, a ditadura e os políticos da Tunísia…”
 
O principal sindicato, a União Geral dos Trabalhadores da Tunísia, também se juntou à caravana de contestação, que partiu sábado das zonas rurais em direção à capital.
 
Entre os gritos de protesto, a imagem do jovem vendedor de flores, Mohamed Bouazizi, que se transformou em ícone da “Revolução Jasmim”. Ele imolou-se pelo fogo, a 17 de dezembro, e a sua morte conduziu às manifestações, sem precedente, que provocaram a queda do presidente Ben Ali.
 
Com uma “Revolução Jasmim” cada vez mais forte, aumentam as especulações sobre a hipótese dos protestos na Tunísia alastrarem a outros países da árabes.