Última hora

Última hora

Líbano à beira da crise

Em leitura:

Líbano à beira da crise

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de apoiantes do primeiro-ministro vieram, segunda-feira, para a rua gritar “golpe de estado”.

Os manifestantes saíram em apoio do chefe de governo Saad Hariri e contra o Hezbollah, que acusam de estar a conduzir um golpe de estado.

As manifestações aconteceram após Najib Mikati, candidato do Hezbollah a primeiro-ministro, ter sido apontado como futuro chefe do governo.

O conselho político da formação de Saad Hariri considera que se está assistir a uma tentativa de colocar a Presidência do Conselho debaixo da tutela do “Véláýaté Farri”, numa alusão ao sistema político clerical do Irão, principal padrinho do Hezbollah.

O governo de coligação de Saad Hariri começou a afundar-se, a 12 de janeiro, com a demissão dos ministros do campo do Hezbollah, após um braço de ferro, por causa do tribunal da ONU que investiga o assassinato, em 2005, do dirigente libanês Rafic Hariri, pai de Saad, e no qual membros do Hezbollah deverão ser acusados.

Mikati deverá de ocupar o lugar de primeiro-ministro depois de, segunda-feira, ter conquistado o aval da maior parte dos deputados.

Esta terça-feira, o Presidente libanês, Michel Suleiman, deve de anunciar oficialmente Mikati como primeiro-ministro.