Última hora

Última hora

Projeto europeu testa células de combustível para navios

Em leitura:

Projeto europeu testa células de combustível para navios

Tamanho do texto Aa Aa

As células de combustível são uma tecnologia promissora para reduzir a poluição nos rios e oceanos.

Os motores a gasóleo dos navios emitem quantidades elevadas de CO2 e enxofre.

Desde 2005, um consórcio europeu trabalha para encontrar uma alternativa aos motores de combustão interna.

A investigação é coordenada pela Cetena, uma instituição de pesquisa italiana na área naval, situada perto de Milão.

O projeto chama-se MC WAP e visa estudar as aplicações práticas das células de combustível de carbonato fundido.

«A célula a combustível de carbonato fundido utiliza o hidrogénio obtido a partir de um sistema que converte gasóleo num gás rico em hidrogénio e o ar proveniente do compressor de uma microturbina. A reação produz electricidade e calor, sem combustão», explica o engenheiro Flavio Federici.

Não havendo combustão significa que há menos emissão de gases com efeito de estufa.

Graças à célula de combustível de carbonato fundido é possível produzir energia suficiente para uma parte das necessidades dos grandes navios, mas ainda não é aplicada à propulsão.

«A energia produzida por este sistema, cerca de 250 kilowatts, representa uma unidade de produção da energia de reserva que pode alimentar os sistemas essenciais a bordo, tais como os sistemas de controlo, comunicação, iluminação e sistemas principais auxiliares», afirma o engenheiro Helio Ferrari.

Para produzir energia suficiente, a célula deve ser alimentada por um gás sintético obtido a partir de um sistema que converte o gasóleo num gás rico em hidrogénio.

Este gás está a ser testado na Universidade de Freiberg, na Alemanha.

Os cientistas criaram uma máquina capaz de transformar o combustível dos navios em gás limpo. Removem o enxofre e todas as substâncias poluentes e obtêm um gás limpo.

“Este sistema quase não emite substâncias nocivas, porque o gasóleo é quase inteiramente transformado em gás de síntese. Esse gás é usado no interior da célula de combustível sem gerar emissões perigosas.”, explica o professor Dimosthenis Trimis.

A célula de combustível encontra-se em fase de testes.

O projeto MC SWAP é financiado pela União Europeia em associação com construtoras de tecnologia para navios.

A ambição é conseguir aliar conforto e proteção ambiental dos rios, mares e costas.

«A corrente é produzida com muito pouco ruído e vibrações, o que melhora o conforto a bordo. Esta tecnologia poderá também servir para fornecer energia a navios com propulsão de baixa potência, que poderiam ser utilizados em áreas protegidas”, diz o coordenador do projeto, Marco Schembri, da Cetena.

As células de combustível são vistas como a energia do futuro pelas suas virtudes não poluentes mas os cientistas deverão ainda resolver vários problemas para que o uso desta promissora tecnologia possa ser generalizado.