Última hora

Última hora

Palavra-chave do governo de Obama é investimento

Em leitura:

Palavra-chave do governo de Obama é investimento

Tamanho do texto Aa Aa

Apelo à união no Capitólio, mas será que o Congresso responde como Obama gostaria?

Emily Schimdt, correspondente da ABC News One está connosco a partir de Wadhingtn:

Emily alguns no Congresso falaram em “novo tom” e “novo orador”. Outros criticaram “que nada havia no horizonte”.

Que impressão é divulgada pelos media?

Há algo de realmente novo no discurso?

Emily Schmidt, ABC News – A ideia da Casa Branca é nova e parte deste conceito: ganhar o futuro. Esta é a noção divulgada por Obama no sentido em que ambos, republicanos e democratas, podem trabalhar juntos para fortalecer a economia dos Estados Unidos e o presidente está convencido disso.

Este foi o tema principal e é novo. Mas o conceito não é novo: projectos de investimento na educação, nos transportes, na investigação…já o presidente tinha apresentado no passado.

Laura Davidescu, euronews – Esta foi a primeira vez que Obama foi ao Congresso desde as eleições intercalares. Acha que isso teve impacto no que ele tinha para dizer?

Emily Schmidt, ABC News – Sem dúvida. Depois das eleições intercalares ficou muito claro, e ele próprio confessou, ter havido alguma falha de comunicação com os membros do Congresso, o que, a partir de agora, pretendia mudar.

Por isso agora veio com os ramos de oliveira, algumas coisas que os novos eleitos republicanos estavam à espera. Disse que queria banir os fundos especiais dos Estados Unidos, alguns projectos protegidos pelos legisladores que os podia ajudar a levar dinheiro para os seus distritos. Avisou que vetaria qualquer projecto lei que chegasse assim ao gabinete. É precisamente o que esperavam alguns republicanos no Congresso.

Laura Davidescu, euronews – Em vez de falar de cortes, o presidente Obama sublinhou a necessidade de investir em novos sonhos, em inovação.

Assegurou textualmente que “este é o momento Sputnik da nossa geração”, falando da necessidade “financiar os projetos Apolo de nossa era”.

E então onde está o dinheiro que para levar a cabo esses ambiciosos projetos? Já se ouviram vozes de importantes republicanos a vaticinar que os Estados Unidos se dirigem para a bancarrota…

Emily Schmidt – O que diz é importante. Uma das palavras é investimento. E essa é a palavra a que a Casa Branca se apega. Vão dizer: isto não é aumento da despesa, é investimento, é dinheiro que se tem de gastar para fortalecer, globalmente, a posição dos Estados Unidos.

O presidente Obama disse: os Estados Unidos têm de assumir a responsabilidade pelo déficie, e isto é uma citação, mas também disse que há coisas que os Estados Unidos não se podem permitir deixar de lado.

Têm de garantir que as crianças americanas recebem uma educação competitiva, que os trabalhadores norte-americanos têm possibilidades não só de encontrar emprego, mas também que os empregos não fujam para o estrangeiro.

Muitos republicanos não estão a acreditar, e gostava de ler algo que disse o senador Jeff Sessions, que assegura que o presidente não tem estado à altura dos desafios da situação atual.

Ele disse que o presidente não estava a aproveitar o momento para enfrentar de imediato. Disse que precisamos realmente é de cortes orçamentais e que o presidente, simplesmente, não os faz. Esse vai ser o verdadeiro debate a pèartir de agora.