Última hora

Última hora

Tunísia: remodelação governamental é vitória incompleta

Em leitura:

Tunísia: remodelação governamental é vitória incompleta

Tamanho do texto Aa Aa

É mais uma vitória para os tunisinos. Centenas de pessoas festejaram o anúncio da remodelação do governo interino, mas continuam a reclamar a demissão do primeiro-ministro.

Mohammed Ghannouchi apresentou esta quinta-feira o novo executivo, em que dispensou quase todos os ministros próximos do presidente deposto. No entanto, dois homens do antigo regime são reconduzidos, assim como o próprio Ghannouchi.

“Este governo é apenas um executivo de transição. É só para este período. A sua missão é preparar o país para a democracia”, insistiu o primeiro-ministro.

O primeiro a ceder foi Kamel Morjane, com a pasta dos Negócios Estrangeiros, que anunciou a demissão antes de ser divulgada a composição do novo governo. Será substituído por Ahmed Ounaïs, um diplomata que trabalhou com Habib Bourguiba e Zine El Abidine Ben Ali.

Os tunisinos exigem uma rutura definitiva com o regime anterior. Mas o primeiro-ministro liderou o governo nos últimos 11 anos e efetuou toda a carreira política à sombra de Ben Ali, que deixou o país a 14 de janeiro, após mais de duas décadas no poder.

A remodelação governamental foi aceite pela UGTT, a central sindical com um papel chave na mobilização tunisina.