Última hora

Última hora

Davos de olhos postos no Egito

Em leitura:

Davos de olhos postos no Egito

Tamanho do texto Aa Aa

Os acontecimentos no Egito estão a ensombrar o Fórum Económico Mundial, em Davos.

Os participantes apelam ao diálogo e ao fim da violência no país a braços com uma revolta popular.

Um desejo expresso, por exemplo, pelo primeiro-ministro japonês:
“Espero sinceramente que o governo egípcio comece a dialogar com os manifestantes o quanto antes e arranque com as reformas de modo a conquistar o apoio e o envolvimento das pessoas” afirma Naoto Kan.

A situação no Egito vai dominar o encontro dos ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia agendado para esta segunda-feira.

“Penso que é crucial colocarmos alguma pressão e, ao mesmo tempo, estarmos disponíveis para ajudar o Egito a ultrapassar esta situação” refere o chefe de governo dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen.

Para o antigo Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, o desejo de mudança expresso nas ruas do Egito é um processo irreversível.